voltar para o topo
Compartilhe: facebook twitter pinterest whatsapp

As novas peças de mobiliário refletem o estilo de vida atual? Afinal, as pessoas estão cada vez mais em movimento e a maneira como vivem apresentam características nômades e de mobilidade. Baseado nessa compreensão, é certo dizer que o design tem um impacto enorme em nosso estilo de vida e que há necessidade de móveis e outros produtos de interior para atender essa finalidade.

A ideia de uma casa nômade é um dos cenários projetados para as megatendências do morar e não é difícil encontrar estudos e pesquisas internacionais sobre o tema, inclusive dentro do setor moveleiro. Parte desse movimento também ganhou força na última década devido as novas oportunidades de comunicação com a web 2.0, cultura DIY – Do It Yourself (faça você mesmo) e com a vontade de buscar mobiliário de baixo custo, mas funcional e agradável.

Compreender essas mudanças no comportamento sociocultural e como essa evolução irá se manifestar no espaço doméstico é uma das “tarefas de casa” para fabricantes e profissionais de design. Segundo o estudo LivingScapes, do trend lab de Milão (Itália), essa tendência está mais ligada aos jovens que buscam novidades e se apegam menos a uma casa. Para eles, o mundo é sua casa. Nesse sentido, preferem casas alugadas e poucos móveis e objetos, já que a qualquer momento podem se mudar ou reconfigurar seu interior.

 

Cerca de 200 pessoas trabalharam no projeto da coleção PS 2014 da Ikea e dos 150 produtos propostos, cerca de 50 sobreviveram e foram considerados relevantes para o estilo de vida nômade

 

Casa e móveis nômades

Levada a sua expressão máxima, essa tendência inclui o design de “soluções móveis”, casas com conforto que podem ser facilmente adaptadas e implantadas em qualquer lugar do mundo. Móveis e utensílios leves, práticos, que podem ser facilmente removidos e reconfigurados. É a casa que atende ao desejo de mudança.

A IKEA – difícil não citá-los quando falamos do setor moveleiro – já havia se antecipado a esse movimento dois anos atrás, quando lançou a coleção PS 2014, com o objetivo de atender uma “casa em constante movimento”, com pessoas sempre prontas para novas situações e necessidades de mobiliário. O público eram (são!) jovens urbanos e criativos.

Seguindo os conceitos da companhia sueca, as peças projetadas oferecem flexibilidade e uma maneira não convencional de vida para todos, por meio da combinação de forma, função, qualidade, sustentabilidade e um preço baixo. Confira a seguir o vídeo da campanha de lançamento.

Uma curiosidade dessa coleção, é que para projetar “móveis globais”, a fabricante entendeu ser essencial ter uma equipe criativa que incluísse designers de todos os cantos do mundo; e 14 jovens profissionais foram escolhidos para trabalhar e prototipar móveis e acessórios diversos, que dessem respostas para uma vida moderna.

Ao todo, cerca de 200 pessoas trabalharam no projeto e dos 150 produtos propostos, cerca de 50 sobreviveram e foram considerados relevantes para o estilo de vida nômade e para pessoas em constante movimento.

 

 Pensando nessa tendência crescente dos nômades urbanos, a Hannabi projetou o Hyperactive Box – um sistema de sofá para pessoas que se deslocam frequentemente

Quarto e sala para nômades urbanos

Pensando nessa tendência crescente dos nômades urbanos, a Hannabi projetou o Hyperactive Box – um sistema de sofá para pessoas que se deslocam frequentemente ou ainda para quem vive em pequenos espaços. A empresa tem sede em Budapeste, na Hungria.

Composto por quatro elementos básicos, o conjunto atende diferentes necessidades do usuário e pode ser facilmente transportado. As peças podem ser usadas para dormir, descansar, comer ou trabalhar, por exemplo.

De acordo com a companhia, o conjunto nômade é um produto metamorfo, pois além seu tamanho customizável, eles podem ser ampliados e utilizados ​​para criar infinitas variações. O encosto móvel, de forma triangular, por exemplo, pode ser usado como suporte ou braços móveis. E o jogo de mesinhas pode ser utilizados nas laterais, centro ou ainda como mesa de café.

 

 

Sempre de mudança

O designer capixaba Ricardo Freisleben e fundador do Oboio Design Studio, é um dos profissionais que produz pensando nesse mundo nômade. “Sempre mudei muito de casa. Então pensei: por que não fazer algo que me atenda?”

 

A Arara Nômade é modular e quando desmontada, cabe em uma pequena caixa de madeira

 

Dessa necessidade e da parceria com o também designer André Pedrini nasceu a Arara Nômade. Nada de parafusos, chaves de fenda, cola e outros tipos de “complicações”; Modular, quando desmontado, o guarda-roupas cabe em uma pequena caixa de madeira. “O próprio tamanho já diz sobre a proposta do móvel: se desapegar do excesso de bens materiais para poder se mover. É um móvel para pessoas que têm o espírito livre”, afirma o designer.

Na mesma linha, o Suporte Nômade é voltado para quem tem o esporte como estilo de vida. Todos os nichos são pregados na parede e têm pequenas aberturas para encaixe da bicicleta, skate ou prancha de surfe. E havendo necessidade de mudança ou deslocamento, basta reuni-los de forma prática.

 

O Suporte Nômade é voltado para quem tem o esporte como estilo de vida. Essa tendência está mais ligada aos jovens que buscam novidades e se apegam menos a uma casa

** Megatendências do morar contemporâneo ** 
Cenários futuros para o design, mobiliário e o viver 
Baixe agora

Conhece outros exemplos de móveis nômades ou que se encaixam nesse conceito? Deixe seu comentário ou envie sugestões para [email protected]