voltar para o topo
Compartilhe: facebook twitter pinterest whatsapp

Arquitetura circular… Não é de hoje que profissionais de todo o mundo gostam de aplicá-la na construção de prédios, principalmente grandes arranha-céus. O formato continua em voga, basta ver que foi eleito por Sebastian Herkner para a instalação do Das Haus na feira alemã Imm Cologne, realizada em janeiro de 2016.

Exemplares podem ser vistos por todo o mundo e nos remetem, claro, aos Emirados Árabes Unidos, que, como tem acontecido com frequência, elevaram essa arquitetura a um novo nível com o lançamento do Aldar HQ (foto acima), um prédio na capital Abu Dhabi e que inova sendo completamente circular. Quem assina a novidade é o escritório MZ & Partners, do Catar.

Menos ousados, outros prédios residenciais, corporativos e governamentais, se destacam em meio a paisagens urbanas repletas de construções convencionais em formatos retangulares. Alguns arquitetos brasileiros são adeptos das curvas. Um deles é Franz Heep, que assina o Edifício Itália ou Círculo Italiano, construído em 1965, em São Paulo (SP). Já Bruno de Franco fez o Suíte Vollard, um prédio que gira 360º, localizado em Curitiba (PR). Lançado em 2004 com 11 apartamentos teve um grande trabalho de marketing, mas acabou não se viabilizando financeiramente e nunca foi habitado.

Em 1972 surgiu o imponente Hotel Nacional, no Rio de Janeiro (RJ), mais um belo exemplar desse tipo de arquitetura. De autoria do mestre das curvas, Oscar Niemeyer, tem 34 pavimentos. Esteve abandonado, mas será revitalizado e relançado por João Niemeyer, sobrinho de Oscar. Também assinado por Oscar, a Procuradoria Geral da República, em Brasília (DF), se destaca com sua estrutura circular. A obra é de 1995.

Mais recentes, são exemplos o Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis, obra projetada pelo premiado Ruy Ohtake em 2010, em São Paulo, e o Edifício Terra, de Gustavo Penna, com lançamento previsto para setembro desse ano em Minas Gerais.

Arquitetura circular Condominio Heliopolis Hotel Nacional Procuradoria Geral da República
Arquitetura circular: Hotel Nacional, Condominio Heliopólis, Suíte Vollard e Procuradoria Geral da República

Eficácia da arquitetura

Em entrevista ao blog da Imm Cologne, o arquiteto Gerald Wehner falou sobre a liberdade que obras nesse formato dão aos autores e experiências positivas aos moradores ou usuários deste espaços. Segundo ele, essas construções se destacam das demais e evitam que um prédio vizinho fique perto demais dando a sensação de “aglomeração”.

“Esse formato também é excelente para eficiência energética, já que tem mais espaço para entrada de luz”, afirma Wehner. Aliás, a luminosidade é um destaque desse tipo de obra, em que os ambientes internos “se abrem” para a luz, criando uma sensação de espaço mais amplo e amigável.

A arquitetura circular também permite melhor aproveitamento da área útil já que os caminhos de circulação – a escada e os corredores – geralmente ficam em círculos no centro do edifício e isso evita corredores longos, estreitos e escuros.

E o mobiliário?

Em pesquisa feita por Wehner com os moradores do Das Rundhaus (a casa redonda, em tradução livre), obra assinada por ele em Rhein-Berg, Alemanha, os moradores expressaram satisfação com o prédio. “Isso também pode ser comprovado pela facilidade com que os apartamentos foram alugados e pelo baixo volume de negócios como revenda e aluguel secundário”, explica.

Edificio Rundhaus Gerald Wehner Arquitetura circular

 

Em seu projeto, o arquiteto alemão deixou as paredes externas curvas, mas no interior existem várias paredes retas, o que facilita a colocação de móveis e não exige adaptação na hora de mobiliar o espaço. Nas unidades, conta Wehner, há espaço para mobiliário de até 7,5 metros de comprimento. Nos quartos, tem duas paredes laterais retas. Somente a parede exterior com as janelas e a parede interior com as portas são ligeiramente curvadas.

Ao gosto do freguês

Outra vantagem que costuma acompanhar os projetos de arquitetura curvilínea é a versatilidade na divisão interna. “Todas as paredes divisórias podem ser dispensadas, caso seja desejo dos moradores. O apartamento pode ser uma grande sala em forma de anel com um núcleo no centro”, explica.

Edificio Rundhaus Gerald Wehner Arquitetura circular

No Das Rundhaus, por exemplo, a construção permite dividir as plantas conforme o gosto do moradores. “Tudo é possível. Dois, três ou quatro quartos, cozinha separada ou integrada, estilo loft… E os tamanhos podem ser ajustados com liberdade já que as paredes podem ser colocadas livremente. É como pedaços de um bolo, cada um pode escolher o tamanho dos cômodos como melhor lhe convier”, conta Wehner.

E o arquiteto finaliza dizendo que a “forma redonda é sempre mais e mais suave.”